O que você acha da minha ideia de indicar algum som que curto em cada postagem do Cotidiano Cego?

sexta-feira, 23 de maio de 2014

CEGOS E O ENEM

Faaaaaaaaala galera!

A correria não me tem permitido postar bastante por aqui e, lamento
que o retorno não traga uma postagem bem humorada, como a maioria.

Essa é séria.

Segue o relato do amigo Antônio Cezar.... calma.... O Antônio dele não
é de anta não...... Pelo contrário.... O cara é bacana...... É apenas
um nome..... kkkkkkkk.

Não dá.... Definitivamente ainda não é hoje..... Nunca esse blog teve
uma postagem totalmente séria e pelo visto, não será dessa vez. kkkk.

Em fim:

Ele é residente no interior de São Paulo e relatou suas dificuldades
ao tentar se inscrever para a prova do ENEM.

Segue o texto dele, seguido dos meus comentários.

***

Olá!
Bastante a contra gosto, resolvi preencher o formulário de inscrição
do ENEM com as opções disponíveis para não perder o prazo, pois o que
gostaria mesmo, era ter a possibilidade de realizar a prova com
acessibilidade digital, ou seja, responder as questões diretamente no
computador e com o auxílio de leitores de telas, tal qual já ocorre
com vários concursos públicos organizados por empresas de tradição no
ramo, como é  o caso da Fundação Carlos Chagas.
Usando um leitor de telas chamado Jaws, a experiência de usabilidade
no preenchimento da inscrição foi terrível, tanto no Internet Explorer
11, quanto no Firefox mais atual (e nem tentei com o Chrome por já
conhecer de outros carnavais a usabilidade de cegos e seus leitores de
telas com esse navegador), pois a cada caixa de verificação que se
marcava ou desmarcava, o foco era perdido, e havia a necessidade de se
localizar novamente para tentar continuar, pelo menos até a parte do
processo que completei usando esse leitor de telas.
Usando o NVDA, que é um outro leitor de telas para cegos e que é de
código aberto, no Internet Explorer 11, a coisa não foi menos fácil, e
até pode ser considerada bastante mais difícil, pois o NVDA não
consegue ler por alguma técnica mais avançada os campos que não
estejam devidamente rotulados, o que pode se tornar uma verdadeira
tortura para um grande número de opções a serem completadas. Já nas
caixas de verificação, o NVDA no IE11 lia uma porção de sujeiras de
javascript quando se tentava andar com as setas, na esperança de
contornar o problema da rotulagem inapropriada.
A opção então, foi a tentativa de uso do leitor de telas para cegos
NVDA com o Firefox, pois nesse navegador, o NVDA consegue administrar
melhor os campos com problemas de rotulagem.
Falo das várias tentativas que tive de fazer, pois o formulário é
muito mal construído na ordem de tabulação, e faço questão de frisar
essa falta de ordem de tabulação, enquanto cego e conhecedor de algum
fragmento de HTML, visto que não tive qualquer pessoa "enxergante" por
perto, que pudesse me falar da construção visual do tal formulário.
E foi exatamente essa ordem de tabulação considerada por mim, usuário
como inapropriada, que me impediu de prosseguir por várias vezes no
preenchimento do formulário, pois andando com a tecla de tabulação,
depois que marcava sim para atendimento especial, encontrava as caixas
de verificação para dizer da minha deficiência, aquelas mesmas que
perdiam o foco com o leitor de telas Jaws, quando da alteração de seu
status e que tinham problemas de rotulagem com o leitor de telas NVDA
no IE11;
No meio do caminho, havia uma opção falando de atendimento específico,
que era seguido de opções para atendimento hospitalar, guardadores de
sábados, para depois sim, se escolher os recursos especiais de apoio
para deficientes, como prova em braille, etc... Já que esse
atendimento específico estava ali, no meio do caminho, andando com o a
tecla de tabulação e sem acesso visual ao formulário, minha 1ª
suposição enquanto cego, era que o Braille, etc, fazia parte desse
atendimento específico, o que descobri não ser verdade, depois de
inúmeras tentativas, pois sempre recebia um erro e não conseguia
prosseguir, até ao ponto de quase que desistir da inscrição, porque
cheguei mesmo a tentar completar o formulário, tendo uma atendente do
0800 do Ministério da Cultura no telefone, e ela não soube ou não
estava devidamente preparada para me ajudar tal qual ocorreria se
fosse num outro caso, pelas experiências que já tive em outros
serviços de atendimento que já usei na minha vida.
Enfim, quando já estava mesmo a ponto de desistir, por um estalo
qualquer, consegui descobrir que os tais atendimentos específicos
estavam ali naquela ordem de tabulação, apenas pelo despreparo de quem
desenvolveu o formulário, e que deveriam ser ignorados por mim, que
ainda não estou num hospital e nem guardo sábados por motivos
religiosos.
A verdade é que usabilidade e acessibilidade não passa por apenas se
dar a opção de trocar as imagens por contas matemáticas, muito embora
sempre se tenha de louvar esse tipo de iniciativa.
Me desculpem pelo longo testemunho, mas isso já pode dar uma idéia do
que um cego pode esperar encontrar pela frente durante a prova do
ENEM: e se a coisa for mesmo por esse caminho, será mesmo necessária
muita perseverança extra, para além da normal preocupação de qualquer
candidato com a preparação pedagógica e psicológica para um exame de
tal envergadura que, se para mim, pode servir para conclusão do ensino
médio, para outros, pode mesmo abrir portas de universidades,
inclusive para além-mar, em terras portuguesas.
OBs: Leitor de telas é um software usado por cegos para converter em
palavras sintetizadas quase que tudo o que esteja na tela de um
computador ou celular, facilitando o uso desse tipo de equipamentos
por pessoas que não possam enxergar.


***

Quanto a questão acessibilidade digital, embora seja um facilitador na
realização das provas por parte de cegos, não concordo.

Se aos demais candidatos não é dada a possibilidade de realizar as
provas via computador, por que seria dado a nós? Trata-se ao meu ver,
de tratamento diferenciado e isso não é nada bom para quem busca
inclusão.

Agora, o pessoal do INEP, assim como algumas organizadoras de
concursos precisam entender que, não basta dar condições para que uma
pessoa cega faça a prova. Tão necessário quanto, é possibilitar a
inscrição.

Afinal, como realizar uma prova, se não conseguimos nos inscrever para tal?

E não adianta alguém querer me dizer: Nossa! Você precisa entender a
atitude louvável deles em disponibilizar condições para a realização
da prova, como ledor, Braille etc..

Atitude louvável coisa nenhuma! Estão apenas cumprindo uma lei. Lei
importante, claro, pois se não fosse por ela, nada nos garantiria
participar de certames, vestibulares em igualdade de condições.

E como se não bastasse a falta de acessibilidade na inscrição para a
prova, o amigo ainda se deparou com uma atendente despreparada.

É lindo quando a Presidente Dilma e demais governantes falam e inclusão.

Tão lindo quanto, é ouvirmos falar da Educação inclusiva, a qual
defendo arduamente por ter vindo dela. Mas é preciso entender que
inclusão se faz por inteiro e não pela metade.

3 comentários:

Giovani de Oliveira disse...

Olá André, meu nome é Giovani. Sou repórter da agência Cartola Conteúdo e gostaria de conversar contigo sobre uma reportagem que estou produzindo. Podes entrar em contato comigo? Meu e-mail é giovani@cartolaconteudo.com.br
Obrigado.

tais disse...

Olá. Em primeiro lugar, acho o teu blog muito legal, parbéns pelo mesmo.
Em segundo lugar, discordo que o uso do pc seja uma forma de querer uma chance que os outros~não tenham, visto a desqualificação dos nossos ledores, que na maioria das vezes, lêem de forma a não estar no contesto real do que a questão pede.
Além disso, não teremos nenhuma facilidade maior do que os demais, já que teremos de esperar o tempo do leitor de telas ler a pergunta para podermos respondê-la. Portanto, a unica diferença entre a usabilidade digital e o ledor é a qualidade da leitura, ao meu ver. Abraços.ens

tiago guimaraes disse...

Eu acho que o antônio está errado, a inscrição realmente confunde na parte de atendimento específico, a gente fica sem saber o que é, mas depois descobre que é aqueles que guardam o sábado (geralmente adventistas) e outros casos. Difícil mesmo para nós é fazer a prova, eles querem que nós ditemos ou falamos a redação para eles o que já favorece a nota cair, além de termos uma hora a mais, o que nos faz de ter que correr para administrar o tempo. Na verdade o enem é injusto com todos os candidatos, portanto quando o governo diz: "O ENEM deu oportunidade para todos estudarem, cursarem uma univercidade federal, e blablablabla..." É mentira eu mesmo conhesso gente inteligente que tentou várias vezes e preferil cursar particular, já quanto aos ledores eles fazem o que pode neste sistema injusto, pelo menos os que eu já encontrei no enem oficial.