O que você acha da minha ideia de indicar algum som que curto em cada postagem do Cotidiano Cego?

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Academia. Suor E desinformação.



Faaaaaaaaaaaaala galera!

Esse fim de semana, fui finalmente fechar um pacote na academia..... Tá.... Já to até vendo as piadinhas de vocês do tipo: Por isso que o tempo mudou no fim de semana? Por isso que choveu durante a corrida!

Tá bom. Piadinhas à parte, vou contar o que aconteceu.

Tudo começou com a cerveja... Isso... Um grupo de amigos bebendo e eu e um camarada, que ainda éramos os únicos que não tínhamos entrado na academia, embora já soubéssemos que precisamos fazê-lo, decidimos e, mesmo depois que o efeito da cerveja passou, a ideia continuou viva. Kkkkkkkkk.

Sábado, animados, fomos lá cumprir nosso objetivo.

Por sinal, minha mãe esteve em são Paulo no fim de semana e, quando eu disse que no dia seguinte entraríamos na academia, ela perguntou: Do chopp?

É. Olha como já tá minha imagem. Kkkkkkkk. E olha que eu nem vi minha imagem no espelho..... Ainda bem. Kkkkk.

Fui lá fechar um pacote.

Olha. Não quero dizer que nunca me engane, mas normalmente consigo diferenciar discriminação de desinformação e, deixo bem claro acreditar cegamente..... Bom.... não dá pra acreditar de forma diferente, né?... kkkkkk. Mas.... Em fim.... Acredito cegamente se tratar da segunda hipótese.

Segundo a recepcionista, eu só poderia fechar um plano na referida academia se fosse acompanhado de um personal.

É. Ia encarecer bastante a parada.

Poderia ser regra da academia, mas...... Em fim.

Sinceramente, até agora estou tentando entender essa atitude. Desinformação é a única explicação plausível até o momento.

Bom. Eu precisaria que alguém me explicasse os exercícios e a utilização dos aparelhos, né? Sim. Até aí, acho que todos que entram numa academia e nunca fizeram exercícios precisam.

E ela dizia que não tinha como o professor estar me acompanhando o tempo inteiro.

Gente. Então....... Como penso eu funcionar uma academia.

É montado um treino. O professor te orienta, te passa a sequência e depois de orientado você chega e vai lá fazer. Será que eu to errado?

Quando eu fazia natação, por exemplo, assim era.

A professora no primeiro momento entrava na piscina comigo para ir me mostrando os movimentos, ensinando cada técnica e, quando eu já estava nadando, simplesmente me levavam até a beira da piscina, me passavam a sequência de treino e eu fazia. Pediam para que erguesse as mãos caso houvesse algum problema.

Concordo que se algum exercício for feito de forma incorreta em um aparelho de musculação, causará alguma lesão séria.

Mas sei lá....... O que pensam de cego? Não sei.

Certa vez, conversando com um camarada ele disse que eu jamais poderia fazer esteira, porque ele uma vez foi fazer de olho fechado e quase levou um tombo. Kkkkk.

Bom. Eu já fiz esteira e bicicleta também uma época e nunca caí. Rsrsrs. Rs.

Repito. Orientado eu precisarei ser, com certeza, assim como todo mundo.

Ainda tem uma coisa:

Além de eu e meus amigos pretendermos treinar no mesmo horário, com o tempo frequentando o lugar, até mesmo a localização dos aparelhos eu vou aprender. Rs.

Usei todos esses argumentos.

Ela falou que tem um problema. As vezes a disposição dos aparelhos muda.

Putz! Será uma academia de mudos? Ninguém poderia avisar caso um aparelho mude de lugar? Kkkkkkkk.

A recepcionista disse que hoje, conversará com o dono da academia e em seguida me dará retorno.

Como eu me sinto diante da situação?

Nem eu sei definir.

Compreendo, embora indignado, que em pleno século XXI ainda existe muita desinformação sobre as pessoas com algum tipo de deficiência.

Há também aquela questão da mistura entre as mesmas.

Sabemos que muitas vezes as pessoas gritam no ouvido do cego oferecendo ajuda como se ele fosse surdo, seguram pelo braço chegando as vezes até a machucar na descida de um degrau achando que a bengala do cego é porque ele tem problema na perna e falta equilíbrio. Kkkk. Parece piada, mas é assim.

Em pleno século XXI, ainda é assim.

Por outro lado, se eu disser que as situações de restrições ou, em outros casos mais graves, rejeição causadas por essa desinformação são confortáveis, serei hipócrita.

Ninguém nunca se sentirá bem ao tentar fazer algo o qual realmente seja capaz e, no mínimo se coloque empecilhos para que a pessoa faça.

Afinal, ninguém é louco.

Cegos, por exemplo, pedem ajuda para atravessar a rua, justamente por saberem que não conseguirão fazer sozinhos.

Logicamente, é chato você querer entrar numa academia, fazer exercícios onde serão usados seus braços, pernas e todo o corpo que funciona e ver que a coisa não é tão simples como deveria ser.

Minha amiga perguntou: Vocês nunca tiveram? Nem surdo, nem nada?

Responderam: não.

Aí vejo que também muitas vezes somos culpados pela desinformação.

Deveríamos procurar mais.

Muita gente, talvez por medo de passar situações como essa, deixam de procurar e alimentam a desinformação que já existe.

Se procurássemos mais, certamente as mentes se abriria, pois pensariam numa parcela de clientes que poderiam estar perdendo.

Mas não.

Eles nunca tiveram alunos cegos e sou capaz de apostar que até hoje, fui o único a tentar fechar um plano lá.

Agora é aguardar o retorno prometido pela academia e, se não der, procurar outra.

Uma coisa é certa:

Agora, mais do que nunca, entrar na academia eu vou.

Posso demorar, mas acho.

E que essa humilde postagem possa um dia, possibilitar que as academias deixem de ser estabelecimentos exclusivos para exercício do corpo e que, suas administrações também movimentem suas mentes.

Agora adianto uma coisa: Não existem aparelhos no mercado para essa finalidade.

4 comentários:

Lucas Fox disse...

Fala, And're. Ano passado fiz um tempo de academia. Ia eu, meu pai e meu irmão. No começo meu pai me levava de um aparelho para o outro, mas para agilizar a coisa pedimos para que o professor me deixasse nos aparelhos ao terminar. Veja bem, ele não precisava ficar comigo durante cada exercício, mas sim apenas me levar de um aparelho para o outro. A academia reclamou com a gente e queria que pagássemos um personal trainer para mim. Achei um absurdo e parei de treinar naquele local. O preço iria quadruplicar, simplesmente pelo fato que o cara me levava de um aparelho para o outro? Palhaçada.... Fico imaginando quais são as responssabilidade sde um professor de academia que eu tomaria tanto assim do tempo dele. Segundo meu irmão e meu pai eles ficavam por lá andando, olhando os alunos e só. Me levar de um aparelho para o outro não tomava mais do que 30 segundos, e isso a cada 5 minutos, o tempo que durava cada exercício mais ou menos... eu já falei que tinha 3 ou 4 professores na academia disponíveis todo o tempo?

André Carioca disse...

Pois é Lucas.

Bom a academia deu o retorno prometido e o posicionamento deles continua o mesmo.

Realmente. Nada custa. Levar de um aparelho para o outro. Mas, em fim....

O lance agora é procurar outro lugar.

Francisca da Silva disse...

Olá André,

Primeiramente, gostaria de lhe fazer um elogio pelo blog.
Você consegue expor de uma forma humorada como é o cotidiano de um deficiente visual. Estou lendo aos poucos suas histórias e, realmente, tem muita gente desinformada neste mundo, nesta academia então.
Não posso terminar sem antes te fazer um elogio, parece ser uma pessoa alegre, humorada e que gosta de se divertir. São características que com certeza fazem de você uma boa companhia.

Francisca

André Carioca disse...

Olá Francisca.

Agradeço os elogios.

Tento passar as situações do cotidiano de uma forma bem humorada, por ser esse o meu estilo.

Quem convive comigo sabe disso e fico feliz quando, mesmo os leitores que não são do meu convívio próximo percebem como sou.

Pode ter certeza que acertou na mosca.

Esta forma com a qual exponho as situações é a minha forma natural de ser e agir.

Abs.