O que você acha da minha ideia de indicar algum som que curto em cada postagem do Cotidiano Cego?

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Felizmente, ainda nos resta ao menos a solidariedade!



Faaaaaaaaaaaaala galera!

Ontem, voltava para casa após mais um dia de trabalho.

Quando desci do ônibus, caía uma chuva daquelas que nenhuma capa ou guarda-chuva protegeria.

Ainda bem que o ponto era coberto.

Resolvi esperar ali até que a chuva diminuísse um pouco e assim pudesse continuar meu caminho.

Enquanto aguardava pacientemente a chuva deixar eu voltar para casa, várias pessoas me abordaram perguntando que ônibus eu ia pegar.

Isso me felicita e muito.

Embora existam pessoas que nessas situações fingem que nem te viram...... opa.... Quem é o cego na verdade? Kkkkk., existem também aquelas dispostas a ajudar.

Conforta saber que num país onde temos o mínimo de acessibilidade, existe um povo que, apesar de toda a desinformação, procura sempre ajudar da melhor forma e mesmo não sabendo como, está apto a aprender. É. Tem as exceções. Aqueles que quando VOCÊ TENTA ORIENTAR AINDA FICAM COM RAIVA. RSRSRS. Mas felizmente é a minoria.

Nesse Brasil onde semáforos sonoros são raros, onde, diferentemente dos países de primeiro mundo, não existe nada que sinalize qual ônibus está parando no ponto. É. Eu já comentei aqui que no Canadá, cada ônibus que passa tem indicação sonora de que linha é e por onde vai.

Se por aqui não houvessem pessoas dispostas a nos ajudar a sinalizar um ônibus por falta de uma acessibilidade que poderia tornar isso desnecessário e, também, que nos possa auxiliar quando precisamos atravessar uma rua, o que seria de nós?

Claro. Não podemos dizer que está tudo bem e que não há nada a ser feito.

O ideal seria termos os semáforos sonoros pelo menos nas ruas e, que houvesse aviso sonoro nas conduções para não ficarmos jogados à própria sorte.

Ou azar, né?

Vai que você passa na rua num horário onde não tem ninguém por ali...... Rs.

Ou chega no ponto de ônibus e naquele momento não tem ninguém.... Já passei por isso e tive que parar todos os ônibus que passavam e perguntar ao motorista.

E numa dessas vezes eu já estava meio chapado e acabei dando sinal para um caminhão... Bom. Vamos pular essa parte, né? Rs.

E isso não é tão difícil!

Gente. Até as lotações do Rio já tem isso há anos.

O transporte oficial não tem. Mas o alternativo.... Bom.... Pelo menos quando eu morava lá, tinha.

Olha lá as combis. Vira e mexe eu escutava:

“Estação De BanGu, Rio da Prata, Viegas!”

Ou então:


“Aricuri, Estrada Do Campinho, Vila Nova!”

“Estrada Da Posse, Padre Miguel!”

Pera aí. Se o transporte alternativo tinha essa gravação ou então um doido gritando o trajeto lá de dentro o tempo todo, porque raios o transporte público não pode ter autofalante parecido?

O mais legal é que a voz da gravação era padrão.

A mesma voz que você ouvia em Bangu, escutava nas combis de Madureira, Santa Cruz, Campo Grande, etc. Rs.

Daria muito mais autonomia.

Mas como a mentalidade dominante aqui, principalmente pelos políticos acha que é muito mais importante dar gratuidade para os pobres coitados do que autonomia para que se use o transporte e se locomova nas ruas, até porque ainda tem a vantagem de que as atitudes assistencialistas geram mais votos, estamos aí.

Temos a gratuidade num transporte público o qual falta autonomia para usar.

Quantos ônibus adaptados para cadeirantes existem na sua cidade? Me respondam.

Legal né? O cadeirante pode andar gratuitamente num ônibus no qual ele passa constrangimento pra subir. Muitas vezes precisa até ser carregado no colo. Legal! Deve confortá-lo muito saber que não pagará por isso. Tanto quanto me conforta quando, estou no ponto de ônibus, e ao abordar alguém que tenha acabado de chegar para solicitar ajuda ou, quando sou abordado perguntando se necessito de ajuda e, ao indicar o ônibus que preciso, ouvir:

Acabou de passar!

Nossa! Como é legal não pagar por perder o ônibus e chegar atrasado por causa de uma acessibilidade que não tenho!

É muito mais legal quando, você não paga por ter perdido um ônibus o qual passou depois que a pessoa à qual você pediu ajuda foi embora por conta do ônibus dela já ter passado e esqueceu de te avisar. Aí você pensa que ela estava olhando, fica tranquilo até que outra vem e diz

Que ônibus você vai pegar?  Olha! Passou enquanto eu estava atravessando a rua! Kkkk.

Como é confortante saber que a gente não paga por isso!

E tudo isso por um simples aviso sonoro que não tem nos ônibus!

Se, além de todas essas dificuldades, não pudéssemos contar no mínimo com a solidariedade do povo, nem quero pensar o que seria de nós. Ou melhor: acho que não seria.

3 comentários:

Lucas disse...

Oi André! É verdade, as pessoas nos ajudam muito quando estamos na rua.
Mas sobre os ônibus, aqui em Curitiba os ônibus das linhas centrais tem
uma gravação, que anuncia a próxima parada, quais ônibus também param
alí além de dar outras informações, o que nos ajuda muito.
Agora, nos pontos de ônibus a situação já é mais complicada...

Um forte abraço!

www.lucascomunicacoes.logspot.om

Selma Freitas disse...

Ai André, desculpe, mas vc reclama demais.
Reclama das cotas mas se utiliza delas, reclama da gratuidade do transporte mas não paga a passagem...
é muito cômodo reclamar de um benefício e usufruir dele, né?

André Carioca disse...

Selma.

Consegui perceber pelo seu comentário que, não conhece praticamente nada mesmo da minha vida. Realmente. Pra falar tal besteira, só poderia.

Acho que antes de falar algo sobre alguém, procura conhecer as atitudes primeiro e as reais situações que colocaram a pessoa no posto onde trabalha.

Como passou, quantas vagas, se tinha vaga reservada ou não, como por exemplo não tinha no meu caso. Pesquisa direito, vai!