O que você acha da minha ideia de indicar algum som que curto em cada postagem do Cotidiano Cego?

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Cegos e cães

Faaaaaaaaala galera!

Depois de um fim de semana com Churrasco, churrasco, churrasco.... e cerveja, cerveja, cerveja, cerveja e mais cerveja, to aqui de volta ao blog.

Hoje para falar, não de cão-guia, como muitos devem estar imaginando.

Mas da relação entre cegos e cães.

Vou relatar aqui algumas experiências minhas e também, a de um amigo que inclusive me sugeriu esse post.

Primeiro a experiência dele.

Cão nãoa tace cego.

Exatamente.

Ele poderá atacar a princípio, por se assustar com a bengala, achandoq ue será usada pra bater nele.

Meu amigo relata que outro dia, ele vinha com a bengala e o cachorro rosnou pra ele.

Ele imediatamente parou.

Quando ele parou e recolheu a bengala o cachorro ficou quieto, o dono apareceu e retirou ele de boa....

Agora duas experiências que aconteceram comigo com relação a cães.

Eles tem uma inteligência fenomenal.

Uma vez eu estava na rua.... Tá... Não vão me chamar de louco mas eu converso com cachoro, tá?

Tudo bem....

Eu estava na rua eis que um cachorro rosnou pra mim. Deveria ser de rua... Eu calmamente, recolhi a bengala e disse:

Calma amigo.... Eu só quero passar.

E não venham me dizer que eles não entendem.

todo mundo parou.... Deveriam estar olhando pra minha cara por eu estar falando com um cachorro de rua, mas beleza.

Mas o fato é que ele se levantou, começou a andar na minha direção... Amigo eu não consigo te ver. se eu encostar é sem querer. Aí o cachorro andou, mas fazendo barulho com as patas no chão.... Ou seja.... Alguma coisa ele entendeu... Talvez por obsarvar que eu andava sem olhar ele entendeu alguma coisa rs.

E não foi só.... Ele nem tão somente deixou eu passar, como veio atrás de mim no meu trajeto!

Exatamente:

Ele veio me acompanhando. Eu tive alguns probleminhas em travessias de rua porque alguns não queriam me ajudar porque eu tava com um cachorro de todo tamanho me acompanhando, mas.... rs.
É... eu não tenho medo de cachorro. Sério.

Seja da raça que for. rs.
Como eu já tive vários, eu sei como lidar e acho que justamente por eu não ter medo, eles pegam uma confiança maior porque se ele pensa em te atacar e você demonstra medo, pode ter certeza que ele vem pra cima. rs.

Eu não sei se alguma vez eu postei aqui sobre o pingo.

Ele era um cachorro da raça Pincher e que ficou comigo 13 anos.

Ele sabia que sou cego.... Gente é isso aí mesmo.... Ele sabia que eu sou cego.

Por que eu digo isso?

Tá não só pelo fato de eu já ter pisado nele sem querer uma vez..... rs.

Mas pela atitude que ele tinha comigo.

Quando ele ganhava um brinquedo novo por exemplo, ele, para as outras pessoas pegava o brinquedo colocava num lugar e apontava..... Ou pegava com a boca e virava para a pessoa.

Comigo, ele pegava o brinquedo, subia no meu colo e dava na minha mão.

como ele aprendeu eu não sei: mas ele tinha aquele cuidado.

Um dia eu tive pena dele.

Ele tinha o costume de, quando ele via que eu ia passar e algum brinquedo dele tava na minha frente ele corria e tirava.

Ele tinha medo de eu pisar... tá... até mesmo de destruir o brinquedo dele por causa do meu tamanho né? rsrsrsrs.

Ou até mesmo de eu cair.

Teve um dia que ele tava com um osso desses para cães que a gente compra em petshopp.

Ele dormiu com o osso na boca.... Eu não sabia, ele tava no caminho e não viu. eu pisei no osso ele acordou assustado e a primeira reação dele foi morder o meu pé.

Quando ele levantou a cabeça e viu que tinha sido eu, nossa.... Eu entrei, ele vinha atrás de mim e chegava a quase chorar. rs. Sem sacanagem. daí eu peguei ele no colo e falei que tava tudo bem.

Uma vez ele, ao perceber que eu tava doente, entrou no meu quarto e ai de quem quisesse tirar!

Rs.

A última que teve lá no Rio foi a Lilica.

Rs.

Minha mãe tava com ela... Nos primeiros tempos eu ainda morava no Rio.

Quando eu mudei, minha mãe contava que quando ela falava... Cadê o andré? Ela automaticamente olhava para a porta!

rs. Ela tinha a noção de que se eu chegasse, seria por lá. Aí ela olhava pra ver se em encontrava. rs.

O mais engraçado dela foi o dia que eu fui ao Rio e levei um brinquedo para dar de presente a ela.

Ela foi, ficou toda feliz, corria para todo lado.

Voltei.

Na vez seguinte que eu fui ao Rio, a primeira coisa que ela fez foi pegar o brinquedo que eu tinha dado da vez anterior, subir no meu colo e jogar o brinquedo na minha mão... rs.

Como quem diz: ainda tenho. rs.

Agora. Dizem que o cão não tem memória.

como ela não se esquecia de mim e, como ela lembrava que eu tinha dado aquele brinquedo a ela?

rs. Sei lá..

Agora isso me impressiona que assim como o Pingo, ela também jogou o brinquedo no meu colo, deu na minha mão... Quer dizer ela não dava na mão porque era tão sistemática que, depois que você dava algo a ela, ninguém poderia encostar no que era dela. Nem mesmo você que deu. rs.

Mas jogou no meu colo.

Daí fico pensando...

Como os cães assimilam rápido a questão da cegueira e tem sempre o instinto de como lidar!

Nossa impressiona isso.

E de onde e o que leva eles a assimilar?

Agora não pensem que eles também não se utilizam disso pra te sacanear quando querem. rs.

O Pingo então que tinha esse temperamento ele sabia muito bem como fazer! Rs. se esconder sem fazer barulho para eu não achar, tentar esconder alguma coisa minha sem eu perceber. rsrsrsrsrs.

7 comentários:

Anônimo disse...

Pois eu quero deixar aqui o meu comentário. Claro que cachorros têm memória, claro que sem dúvida, são super inteligentes, sem dúvida nenhuma que eles assimilam bem mais rápido que certas pessoas da dificiência do dono, ou de quem passa por ele. Ou não fosse ele o melhor amigo do homem, e o escolhido para ser cão guia! Cão tem uma sencibilidade incomum e é bem inteligente, ao ponto de, se fôr necessário defender a pessoa seja ela dificiente ou não. Mas sabe muito bem lidar com uma pessoa cega, disso não tenho dúvida. Já me aconteceu ir a andar tranquilamente pela rua, pisar um cachorrinho, ele, claro, sem demora mordeu, eu virei para ele, ainda sabendo que ele estava de certo com raiva de mim, mas ainda assim arrisquei dizer: calma meu querido amigo, foi sem querer. Sabes, eu sou cega! Acredita que acho que ele entendeu? Motivo da desconfiança: não deixou de me proceguir o trageto todo, e ainda veio no final lamber o pé! Pois é.... Mas não é só cachorro que é inteligente! Vou contar a experiência que tenho com passarinhos: tinha um canário em gaiola, boa, não é muito bom, mas eu tinha, daí ele tinha sempre a mania de se esconder toda a vez que eu ia dar-lhe comida ou água. Eu chamava pelo nome dele, ele piava, corria para o outro canto da gaiola e escondía-se de mim. Um dia eu virei para ele e disse: mimo, é a dona! Onde estás? Ele piava, e piava, corria corria, e deixava de piar. Eu botava a mão dentro da gaiola e toca de procurar por ele. Que nada! O bichinho escondía-se.... Virei para ele e disse: Mimo, não esconde da dona! A dona é cega e não te está a ver! Trata de fazer barolhinhos.... Não sei o que aconteceu, se ele entendeu ou não, mas a partir desse dia, o que é certo é que, cada vez que procurava por ele, ele respondia com piares sucessivos, eu procurava dentro da gaiola e até ele deixáva-se mexer, fazer carinho, etc! E que pássaros têm memória, disso eu não tenho dúvidas! Sempre que eu saio os meus passarinhos ficam bem tristes, quase não piam. Quando retorno, é uma felicidade, fazem uma festa! E quando alguém estranho se aproxima.... Nem queiram saber a chilriada que eles fazem chamando a atenção de que está gente estranha perto das gaiolas! Tou viajando não.... É mesmo real o que acabei de relatar! Bom André, desculpa me ter alongado no meu comentário. Beijos grandes e fica bem! Até à próxima história!

Núbia Soares disse...

eu tenho paixao por cachorros, e acredito sim na inteligencia e memoria deles,mas a suas historias com eles me emocionam ainda mais! e hj, vc nao tem nenhum cachorro?

André Carioca disse...

Nubia. Hoje não tenho nenhum cachorro, devido ao espaço onde moro.

Mas quando eu puder, certamente vou querer ter novamente.Ei minha amiga anônima que tem nome e é de Portugal. Rs.

Com certeza os pássaros também tem inteligência!

Mais eu cito cães, por serem os animais que mais gosto e por isso tive mais experiências.

Anônimo disse...

Interessante. Creio que meu cachorro também sabe que sou cego. Toda vez que estou andando em casa, ele sai do caminho para que eu passe e não pise nele, mas só para mim ele faz isso, as outras pessoas ele espera que desviem. Na hora que vamos brincar, normalmente ele gosta de ficar correndo pelo gramado, mas comigo ele brinca diferente. Fica pulando ao meu redor, a distância que eu ainda possa tocá-lo ou ouvi-lo sem problemas, com certeza, são animais muito inteligentes.

Valéria disse...

Oi
eu acredito em você e não imaginava que eles eram tão sensitivos assim. Sou louca por animais, moro em uma chácara e tenho 3 rotwaillers e acredite , eles são feitos de gato e sapato por meus filhos de 2 e 5 anos.
tem um fato engraçado. Um dia cheguei em casa e a babá de meu filho estava enrolada em uma toalha, pois tinha sujado a roupa com o numero dois devido a um ataque do conam. essa cena se repetiu 3 vezes, e eu estava a ponto de dar o animal. doente, meu marido chegou mais cedo do serviço, e pasme a babá estava judiando de meu filho. e o cachorro estava torcendo as grades do canil, de tanta raiva. a partir desse episódio, quem for cuidar de meus filhos tem que pular 3 enormes caes que ficam ao lado deles o dia todo.hoje a nova babá é amada por todos eles.me emocionei com a sua postagem. beijim e até a próxima!

André Carioca disse...

No meu caso, Os cães que tinham também brincavam de correr, mas por sentir que no espaço onde eu estava eu conhecia e tinha como correr atrás deles. rsrsrsrsrsrs.

O pingo já fazia diferente:

Ele gostava de se brincar de me pegar distraído... Uma vez, quando estavam nascendo os pelos na minha eprna ele ia, fazia carinho e quandoe u me distraía ele puxava um e saía correndo. kkkk.

dizem que o cão tem o temperamento do dono. Como eu sempre fui muito sarrista e gosto de zoar, um cachorro meu não poderia ser diferente né? rs.

Anônimo disse...

Nossa André! Esta foi mesmo de jeito! Claro que tenho nome sim, claro que sou de Portugal, e também, claro que somos amigos! Ainda que virtuais, mas somos amigos! Sabes bem o quanto te admiro, quero bem, e sempre feliz! É gente, revelações amigáveis em pleno blog! Mas, graças a Deus, já sou amiga do André para lá de três anos, e não me arrependo nadinha de o ter encontrado por esta maravilha que é a rede virtual! É muito legal lidar com um cara como tu. Beijos grandes e parabéns, mais uma vez, pelo blog, e pelas coisas engraçadas e interessantes que vais publicando por aqui. Acredita que aprendo muito contigo, e adoro dividir experiências. Esta postagem particularmente gostei muito. Acho que vou recomendar este vídeo-game para o meu irmão! Mais beijos e obrigada pela tua amizade!

Dália