O que você acha da minha ideia de indicar algum som que curto em cada postagem do Cotidiano Cego?

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Invasão na vida do cego

Faaaaaaaaaaala galera!

Essa semana andei sumido do blog, eu sei.

Recomposição do fígado em detrimento do fim de semana passado, até bebi pouco nesse feriado... só 2 litrões na terça à noite e 2 na quarta, em fim.... Um amigo já me falou: Ah, bebeu pouco? Vai se catar!

Mas em vista do que eu to acostumado foi pouco sim.

Num dos bares que estive no feriado, certa hora um garçon chegou e falou. André. Tem um presente aqui pra você. Vamos ver se descobre o que é!

Quando coloquei a mão era a maquininha do cartão. daí eu disse: Ah, já sei! É um convite! Convite pra eu cair fora daqui que vocês estão querendo fechar. kkkkkk.

Ele deu rizada, paguei a conta, terminei a cerveja e saí. kkkk.

Mas eu vou falar nesse post sobre invasão à vida do cego.

Existem pessoas que confundem ajuda com invasão à vida ou à rotina do cego.

Não é tão incomum você pedir ajuda para alguém num momento em que precisa atravessar a rua, a pessoa se propõe a te ajudar e de repente, a pergunta:

Pra onde você vai?

certa vez, estava eu na AV são João, no corredor de ônibus depois de descer... Isso é só uma das vezes que eu to contando. Isso já aconteceu só comigo em várias situações. Ainda mais com outros.

Pedi ajuda. Poderia me ajudar a atravessar a rua?

sim.... Vou atravessar pra direita.

Mas, pra onde você vai?

Vou seguir reto na avenida.

A pessoa repete a pergunta: Pra onde você vai? Porra!

Eu pra não ser mal educado, fico quieto, finjo que naõ escutei e ao fim da travessia agradeço... Mas... que merda em!

Desde quando eu sou obrigado a falar pra onde eu vou? Que merda! kkkkk.

Tá beleza.... se a pessoa fala, como eu disse: Vou reto na avenida e ela responde: também to indo pelo mesmo caminho. Se quiser, vamos juntos.

Aí é diferente.

Agora: se coloque na situação.

Tá certo que a intenção das pessoas quando fazzem isso, na maioria das vezes é de ajudar. Mas pensa bem. será que você gostaria de ter todo tempo alguém querendo saber onde você vai? kkkkkk.

Além do que, existem cegos e cegos.

Imagina que aquele cego naquele momento, por exemplo esteja indo em alguma casa de tolerância que esteja ali perto.

Imagina a situação constrangedora do cego em te responder, na hora da clássica pergunta:

Ah, to indo ali no puteiro. kkkkkkkkk. E se ele for cara de pau e te responder na lata, como você vai ficar? kkkkk.


Ou de repente, o cego tá a fim de dar um 2 ou de usar uma farinha diferente e daí te responde:

Ah. to indo ali na boca pegar um baseado. Ou então. To indo ali na boca pegar um pó..... kkkkkk.

sigam o meu conselho:

Se você não conhece o cego, é bem melhor não querer saber pra onde ele vai, em!

Você pode encontrar um que esteja indo pro trabalho, pra casa, pro boteco... Mas também pode encontrar alguns que estejam indo pra cada lugar que vocês nem imaginam!

então gente: dêem só a ajuda solicitada e pronto... kkkkk.

2 comentários:

Jacqueline disse...

Ok! Entendido!

Diário de uma retinoseira disse...

nossa voce e muito doido kkk
adorei seu blog ,da uma passadinha no meu
http://diariodeumaretinoseira.blogspot.com/
e um diario de uma meia cega se e que isso existe, mas não e aquelas meias de por no pé nao ta rsrsr